[Resenha] A Guerra dos Criativos "Alec Silva"


Um mundo sustentado por seres divinos conhecidos como Lordes está sendo almejado por uma força sombria e voraz, que dias após dia ameaça a harmonia do mundo, e Alec Silva de repente se vê no meio de batalhas nas quais o poder de criar confronta o de destruir, uma guerra em que Criativos, Juízes, Anjos, Lordes e criaturas oriundas dos sonhos e pesadelos se enfrentam em escalas nunca antes imaginadas.

O primeiro romance de autobiografia fantástica do autor de Zarak, o Monstrinho (Multifoco) narra a saga do escritor em meio a um mundo sustentado pelas imaginações dos míticos Lordes, considerados deuses por muitos, enquanto uma força destruidora corrompe e almeja o poder supremo. Ajudado por Zarak e outros participantes da Guerra, Alec conhece mais sobre si e sobre um universo de ideias e sonhos, onde o equilíbrio pode ser abalado ao menor agito.

Com participações especiais de personagens de algumas obras de amigos escritores, como Phyreon (da Trilogia Legend of Raython, de Kamila Zöldyek), e dos próprios amigos, como Alfer Medeiros, Eric Musashi, Paul Law e Celly Monteiro, é uma história cheia de fantasia, aventura e drama, na qual o limite entre sonho e realidade pode ser abalado por uma simples ideia.

O convite irrecusável foi feito. Agora, resta a cada um aceitá-lo e participar do jogo, A Guerra dos Criativos mais mortal que já aconteceu no universo.


Editora: Independente/Liro/Clube de Autores/Bookess
Gênero: Fantasia, Auto-Biografia, Guerra, Aventura
Ano: 2013
Páginas: 414
Nota: 5/5



“A Guerra dos Criativos” é uma intensa experiência literária perpetrada corajosamente pelo jovem autor BRASILEIRO Alec Silva.




A Guerra Dos Criativos
Uma fantasia, uma autobiografia, um sonho. Uma história incrivelmente criativa e original.
Um convite IRRECUSÁVEL!

“A Guerra dos Criativos” é um livro como nunca vi igual. Difícil de classificar, difícil de explicar, impossível não gostar.

O livro escrito por Alec Silva esteve por diversas vezes nos meus interesses de leitura, mas, por diversos motivos, eu o deixara para depois, recusando temporariamente o convite irrecusável feito pelo autor. Mas, recentemente, na minha ânsia de consumir os novos autores nacionais, me dei a oportunidade de apreciar essa obra, e, definitivamente, meu único arrependimento é de não ter tomado tal decisão antes.
 


 
Gariel e Alec no Lago da Alma

"- O medo é algo muito curioso, sabe? - prosseguiu o Anjo. - É uma clâmina de dois cortes, como uma espada. Vocês o têm para garantirem a sobrevivência, mas o usam tanto que acaba tronando-o um atraso em suas vidas, ma desculpa viável para não fazerem algo novo e seguirem em frente, não arriscarem um pouco mais, não ousarem, não inovarem, não tentarem."

"Era como estar noutro corpo, noutro lugar. Era estranho acordar para a realidade deste mundo. Era como se minha vida não fosse aqui, mas lá, naquele mundo."

"A sombra demoníaca que surgiu no muro confirmava o meu temor: uma figura assustadora e com um par de chifres, a visão medieval do Diabo."

Alec nos brinda com uma obra completa. Com uma originalidade impar, construiu uma história diferente de tudo o que eu já conheci até o momento, mesclando de forma harmoniosa fantasia, autobiografia, e sonhos. Se alguém conhece uma obra que traga esses elementos concatenados e formando uma história formidável, por favor me conte, pois certamente lerei.
 


"- É um sonho? - indaguei, aproximando-me um pouco de meu amigo.
- Sim e não.
- Como assim "sim e não"?
- "Sim" porque é um sonho e "não" porque não é um sonho - respondeu o monstrinho, contradizendo-se numa única frase. Era da personalidade de minha criatura sempre me deixar confuso.
- Zarak, você sabe que não é possível sonhar e não sonhar, não sabe? - comentei, irritado.
- Sério?! - replicou ele, fitando-me. - Nunca notei."

A coragem do autor de se expor, se colocando como protagonista e confessando seus erros e defeitos, abrindo o peito e derramando toda sua fragilidade em sua escrita, é algo louvável, e comovente. No entanto, além da coragem, Alec mostra uma escrita precisa, interessante, fluida e atraente.
 

"Jogar dois anos e alguns meses de uma história de vida ao vento é um ato que exige ou muita estupidez ou muita coragem - ou um pouco das duas -, pois uma vez as folhas de um livro forem arremessadas de um penhasco, acredite, não será nada fácil reuni-las outra vez sem deixar pelo menos uma para trás, perdida para sempre."

No universo fantástico apresentado pelo autor, não há limites, e tudo pode seguir até onde a imaginação humana puder alcançar; o que significa que pode ir a qualquer lugar, possível ou impossível. Com isso, adentramos em universos dentro de um universo, passeando por todos os meandros da ficção fantástica, conhecendo toda a sorte de criaturas.
 
Os personagens são muitos, muitos mesmo! E diversos deles são baseados em pessoas reais, novos autores brasileiros, que Alec homenageou de uma forma muito bonita. As personalidades de cada Criativo e Criatura são verossímeis, e bem estruturadas. Não há maniqueísmo e, mesmo em um universo fabuloso e inimaginável, são profundamente humanos, cheios de defeitos e qualidades; erros e acertos.

Dragão Libélula bebê

 

"Sentia-me incapaz de qualquer coisa ali, como uma formiga diante de uma lente de aumento que potencializa o calor e a queima sob o riso maligno de uma criança sádica"

Zarak, o monstrinho

Todos os personagens são bastante carismáticos, e pode ser difícil escolher um predileto. No entanto, é impossível não amar Zarak. O amigo imaginário de Alec é um “monstrinho” apaixonante, cheio de ironia e bom humor, mas também carregado de mistérios e descobertas, que a cada capítulo nos surpreendem de uma forma deliciosa.

Zarak não só é um dos mais carismáticos personagens, como tem uma curva de crescimento muito bem construída e que rende surpresas e emoções ao longo da leitura.





"- Posso me comunicar com gente morta, como aquele garotinho daquele filme, saca? – explicou-me o ser imaginário. - “Eu vejo gente morta” e coisas do tipo, moleque.

 ...você é um Criativo ou uma criatura? Ainda sem alterar a sua frieza e desdém, o nosso salvador respondeu: 
- Nem uma coisa nem outra, mortal. Sou apenas alguém que teve a desgraça de ser imortal, uma maldição poderosa, e ser obrigado a vagar entro os mundos pela eternidade e a conviver com mortais que me enchem de perguntas tolas e insignificantes.

Todos se voltaram para Phyreon. - Vós achais que o filho de uma cadela vira-lata me teme? – perguntou ele, compreendendo o nosso gesto."

Outro personagem que merece destaque especial é Phyreon, emprestado da escritora Kamila Zöldyek (resenhas de suas obras aqui e aqui), que rende momentos impagáveis. Kamila também é representada em uma das Criativas na Guerra, além de ser a Ilustradora responsável pela belíssima capa.
 
Lorde Phyreon

"- Como e por que a raptaram? - indagou Izaak.
- A idiota resolveu atacar o filho de uma cadela sarnenta que quer dominar o mundo.
- Ela resolveu o que?! - assombraram-se quase todos.
- Vós tendes algum problema de surdez? - Mas, ninguém, nenhum Criativo consegue se igualar a ele! - exclamou Alfredo.
- É pura estupidez alguém atacá-lo diretamente, ainda mais sozinho.
- Se conheceres Kara, tu verias que ela é estúpida o bastante para tentar. Eu ainda avisei que era muita idiotice enfrentá-lo, que o bastardo era forte demais para alguém tão jovem, mas achas que ela me ouve? Não! É uma louca desmiolada!

_ - Logo o infeliz assumiu a forma de um cavaleiro de armadura branca que soltava uma fumaça clara muito ridícula e fétida – continuou Phyreon indiferente à minha mentira. – Como havia alguns nerds, como diz a mortal, ele veio com aquele papinho de se render, servir a ele, “eu vou matar, trucidar, sou foda, etc...”. Eu seria muito mais convincente do que aquilo, se quisesse conquistar seguidores!

Enfim, A Guerra dos Criativos é uma leitura obrigatória, não apenas aos fãs de Fantasia, mas para todos os leitores que apreciam uma história bem escrita, bem estruturada e muito agradável. Alec se mostra um escritor excelente, com um longo e brilhante futuro pela frente. Que venham mais e mais obras com a sua assinatura.

Apenas uma pergunta ronda minha mente: “Onde estão as editoras que, ao invés de investirem rios de dinheiro em obras estrangeiras de qualidade duvidosa, não olham para o nosso país, onde grandes autores batalham duro por um pequeno espaço no mercado?”

Nosso autor e protagonista continua em Guerra, uma guerra onde os Criativos vilipendiados pela grande indústria galgam seu caminho, abrindo passagem cada qual com a arma que é capaz de “Criar”. E por isso, já merecem nossa salva de palmas.


Essa obra fabulosa pode ser comprada na Amazon por míseros R$ 2,50, um preço que nem sua mãe faria para você. E para os que insistem em rejeitar os e-books, deixando os autores independentes com uma missão ainda mais árdua, a versão impressa também está a venda, conforme os links abaixo:




Compre na Amazon è R$ 2,50!!
Saiba mais sobre o autor e sua obra em http://zarakmonstrinho.blogspot.com.br


14 comentários

  1. Oie minha querida, tudobem?
    Olha eu nunca tinha visto falar desse livro, mas eu achei bastante interessante em se tratando de fantasia, mas me diz, são contos ou é uma história mesmo? Porque se for uma história onde tem vários personagens assim fantásticos eu acho que irei adorar ler.
    Se vc puder me responder ficarei grata, até porque gostei de tudo que vc falou do livro e principalmente das imagens que vc colocou. Nossa, a capa do livro é mto linda =] Adorei !!

    Parabens pela sua resenha minha querida
    bjokas

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia o livro ainda, mas me interessei bastante. As ilustrações estão lindas.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Fico abismada onde os autores de fantasia tiram tanta imaginação isso me encanta!
    Adorei o livro!
    bjkas
    Dani Casquet- Livros, a Janela da Imaginação


    ResponderExcluir
  4. Deixa eu ver se entendi.. o escritor criou uma história com personagens de outras histórias? Que diferente!
    Fiquei curiosa com essa coisa de ser um romance autobiográfico! A capa está linda demais, gostei bastante e o bom é que está quase de graça no Amazon, não é? Enfim, mais um autor brasileiro muito talentoso!

    Beijos,
    Leitora Online

    ResponderExcluir
  5. Oi, eu não conhecia este livro e adorei a indicação. A capa é muito bonita.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Respondendo às perguntas:
    1. É uma história apenas, dividida em 3 "livros", mas num mesmo volume;
    2. Alguns personagens são emprestados de/ou baseados em amigos, sobretudo os Generais; apenas Phyreon é um personagem de outro livro, da jovem que fez a bela capa.

    No demais, quero agradecer pela resenha. =)

    ResponderExcluir
  7. Parabéns pela resenha! Indico demais esse livro :3 Todos deviam receber o convite irrecusável e jogar com Criativos, só acho, só acho! HAHAHHAH

    ResponderExcluir
  8. Oi guri.
    Que livro fantástico, deu até vontade de embarcar nessa história e nem preciso dizer que a capa é muito maravilhosa *-*
    Parabéns pela resenha porque tá muito legal e obrigada pela indicação (:

    ResponderExcluir
  9. Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas achei superinteressante!
    Muito bom o blog!
    http://cantinhos2livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi Samuel,
    tudo bem?
    Adorei sua dica de leitura, a estrutura do livro é super criativa. Eu nem preciso dizer que gostei da capa (adoro dragões, queria criar um em meu quintal!!!!!)
    Constantemente sou surpreendida com os autores nacionais e fico questionando onde estão as editoras, pois temos textos de qualidade igual ou melhor dos que os lá de fora. Mas continuemos na luta, acho que vocês já estão conseguindo mudar esse cenário.
    Sucesso para o autor!!!!!!!
    Beijinhos.
    cila-leitora voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. oi gente, muito obrigada pela visita!
    estou retribuindo aos poucos, mas já, já passo em todos os blogs
    beijos

    ResponderExcluir
  12. gente, que gracinha de livro. Parece que foi muito bem feito, que teve realmente muita dedicação. Adorei os detalhes e a historia parece ser uma bela lição. Adorei!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tentei fazer o meu melhor, Giovanna! =)

      Excluir
  13. Ainda não conhecia o livro, mas parece ser bom. Confesso que a capa me chamou bastante a atenção, mesmo sendo bem simples, e também adorei o título, achei super criativo hahahaha
    Beijos,
    http://coemundo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, e volte sempre!
Comente, opine! Cometários são sempre bem vindos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...