[Resenha] Morte na Flip - Paulo Levy


Vai começar a Flip–Festa Literária Internacional de Palmyra, um dos eventos literários mais charmosos do mundo. Na décima edição da festa e com a cidade cheia, o delegado Joaquim Dornelas está dividido entre a alegria e a preocupação. Para ele, quanto mais gente e mais festa, maior a chance de confusão.

E é claro que o inesperado acontece, momentos antes do show de abertura: Dornelas se vê diante de uma cena que põe a si mesmo e a sua equipe, em estado de alerta. Um crime é cometido no início da madrugada. Pressionado pelo chefe e pela imprensa, nesta nova e saborosa aventura, Dornelas se vê envolvido numa complexa rede de fatos e intrigas que procuram desviar o rumo da investigação e confundir a polícia.

Embalado por sua amizade colorida com Dulce Neves, por doses de sua cachaça favorita, por seu empenho como pai à distância e por seu mingau de farinha láctea, o delegado Joaquim Dornelas mais uma vez usa de aguçada intuição e incrível faro policial para desvendar mais um complicado crime.

Editora: Bussola
Gênero: Policial
Ano: 2012
Páginas: 267
Nota: 4/5




Morte na Flip, é o segundo romance de Paulo Levy. Recebemos o livro do autor, através da parceria entre o blog e a Editora Bússola, e só temos a agradecer pela confiança.


 
Morte na Flip
Um delegado tipicamente brasileiro em uma investigação cheia de mistério e mentiras


Paulo Levy nos trás novamente o Delegado Joaquim Dornelas – ou Joca, para os íntimos – protagonista de seu primeiro romance, Réquiem para um Assassino (leia aqui nossa resenha). No entanto, a história pode ser apreciada por qualquer um, mesmo que não tenha lido o primeiro livro.

Divorciado, enterrado no trabalho e vivendo um romance multicolorido com Dulce Neves, médica legista, Dornelas se depara com um crime de proporções internacionais: a morte de uma escritora estrangeira na tradicional Festa Literária Internacional de Palmyra, a FLIP.

Dornelas é um sujeito ordinário. Profissional dedicado, pai esforçado e marido abandonado. Vive sozinho com seu cão de estimação e se dedica quase que integralmente ao trabalho. No entanto, dentro do homem comum à frente da delegacia de Palmyra existe uma mente perspicaz e aguçada, muito a frente dos ditos homens comuns.

O delegado tem uma capacidade de dedução fantástica e, aos poucos, consegue formar um quebra-cabeça complexo. Toda a investigação é permeada por mistério e mentiras, que Dornelas desfaz aos poucos, a cada passo, a cada informação descoberta.

A escrita de Levy é muito competente, e flui de forma fácil e rápida. O livro é curto, o que faz dele uma obra sem rodeios e sem “gorduras” desnecessárias. A linguagem é clara e, mesmo com alguns termos mais rebuscados, pode ser apreciada sem problemas, mesmo por quem não possui um bom dicionário.

Os personagens são bem construídos, e os diálogos verosímeis. Destaque para o protagonista, que tem uma personalidade muito bem determinada e desenhada nas páginas do livro. Além de sua atividade profissional, é abordada sua vida pessoal de forma muito interessante, desde sua relação com a amiga/namorada, até a mágoa da esposa que o abandonou e a tentativa de ser um pai presente, ainda que distante. Destaque para o trecho em que Dornelas tem que acalmar a ex-esposa depois que esta flagra o filho pré-adolescente descobrindo os caminhos do prazer sexual solitário.

Todas as pistas deixadas durante a narrativa são bem colocadas, permitindo que o leitor acompanhe o progresso de Dornelas durante a investigação. Percebemos um afinco na pesquisa técnica quanto a todo o procedimento da polícia, prático e burocrático, o que deixa tudo com uma incrível verossimilhança.

O desfecho da história responde a todas as perguntas suscitadas e desvenda completamente os mistérios, sem pontas soltas ou inconsistências. No entanto, o final me deixou minimamente frustrado. Não que o desenlace tenha sido ruim, mas senti falta de um pico maior de tensão. Mas isso por que sou do tipo de pessoa que, quando acompanha uma história, quer sentir o coração batendo na garganta enquanto se segura na ponta da poltrona. Para os cardíacos garanto que será um grande final.

No geral, Morte na Flip é totalmente recomendado, principalmente para quem gosta de bons romances policiais. Bem escrito, inteligente e divertido. Uma ótima pedida.


 
Comprar o livro: Saraiva


Conheçam mais sobre o autor no site: www.paulolevy.com.br


10 comentários

  1. O livro deve ser muito legal!
    Eu amo romances policiais, fiquei curioso para ler!
    http://cantinhos2livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Bru..
    O bom é dá para ler sem ter lido o primeiro livro.
    Não lembro de ter lido um romance policial, até tenho alguns na minha lista, mas sempre compro outros..rs
    Quem sabe...

    beijos
    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?
    Passando para ver as novidades
    e sinceramente tenho que dizer que achei muito bacana a sua resenha, mas eu não conhecia esse livro e achei super interessante até porque ele é policial.E adoro essas coisas de investigação (risos) Vou anotar a dica aqui para ver outras resenhas sobre ele.
    PARABENS pela resenha =]

    Outra coisa querida, queria me desculpar por ter sumido, mas estive viajando e voltei a pouco tempo. Espero que esteja bem.
    Depois passa lá no meu cantinho que tem uma RESENHA super bacana no qual eu CAPRICHEI na postagem.
    bjokas

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Achei sua resenha bem legal. Parabéns!!

    Beijos e boas leituras!

    livrosobaluzdalua.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Oi Bruna tudo bem?
    Passando aqui rapidinho para avisar que te marquei numa tag... Ando tao avoada ultimamente que esqueci de avisar para os ''marcados'', vê se pode?
    Se responder me avisa tá
    http://valmedrado16.blogspot.com.br/2014/01/tag-nacionais.html
    bjos
    OBS: Desculpa não comentar o post. Depois passo aqui com mais calma para comentar viu?

    ResponderExcluir
  7. Oie, tudo bom?
    Eu gostei muito desse livro porque o gênero policial me atrai muito. Também senti falta desse suspense maior na hora de revelar o assassino, mas isso não tirou o brilho da história.
    Sua resenha ficou ótima! Quero mais livros do delegado Dornelas.
    Beijos
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Bru,

    Esse livro não faz muito meu estilo, mais pelo que pude acompanhar na sua resenha, é um bom livro pra quem gosta do gênero, sua resenha está bem construída, bons argumentos, quase me deixou com vontade de ler, quase. kkkk


    Bjks

    Patty Santos - Blog Coração de Tinta
    http://coracaodetinta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Da próxima vou caprichar mais e te convencer!

      BJ

      Excluir
  9. Oi gente, obrigada pela visita!!! Eu ainda não li esse livro, mas quero muito, e a resenha do Samuel me deixou com mais vontade ainda, rs
    beijos

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, e volte sempre!
Comente, opine! Cometários são sempre bem vindos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...